A loja de soutien definitiva de Nova York

Thaisa já tinha me falado há algum tempo sobre a dificuldade de encontrar em Nova York uma loja especializada em sutien, por incrível que pareça. Depois de muito procurar, ela encontrou a Linda’s e hoje ela me levou lá, para uma experiência única que é comprar sutien com quem realmente entende do que está vendendo.

Começa que marcamos hora para sermos atendidas. Não que não pudessemos ir sem isso, mas correríamos o risco de demorar a sermos atendidas. Sim, porque o atendimento é individual e personalizado.

A uma primeira vista é uma loja comum e até pequena

Mas ai voce é convidada a entrar e ir a um vestiário, onde uma senhora (no nosso caso a própria Linda) nos tira medidas e sai em busca dos sutiens que ficariam bem em nós

E ela vai buscar em uma sala imensa, cheia de sutiens e calcinhas!!!! Esse é apenas um ângulo da sala:

E vai nos mostrando o que é um sutien vestir bem, como ajusta-lo ao corpo, o que deve ficar coberto e o que pode aparecer. E a gente a experimentar. E ela a dizer se ficou bom ou não. Mesmo que voce tenha gostado do modelo, ela pode dizer “mas não ficou bom em voce”. E nos tras uma camiseta regata e nos diz para vestir e ai a gente vê como aquele sutien fez toda a diferença. No fim ela diz quais os que ficaram bons e quais o que não ficaram, nos orienta quanto as cores e nos deixa decidir o que levar. Claro que a essas altura eu levei todos. Imaginem que até um sem alças eu comprei!!!!! E voce compra sem pestanejar, porque voce ficou linda com aqueles sutiens, gente! É demais!

E prá completar comprei tambem essa bolsinha linda de carrega-los, porque os que tem espuma não podem ser dobrados e com o dinheirinho que gastei quero que eles durem um bom tempo. Olhem que linda

A Linda’s tem loja online que entrega no Brasil. O endereço é: http://www.lindasonline.com/

Ah, e ela tem tambem maiôs e biquines para todos os tamanhos inclusive para as “plus sizes“, como eu. Na próxima vez vou dar uma olhada neles.

Mais um bar de petiscos, o Terroir

Estava pensando nesse estilo de bar que tem aqui, onde se come porçõezinhas deliciosas e bebe-se vinho ou cerveja. E ai me dei conta que essa é a versão americana para o boteco e seus petiscos, onde se come coisinhas deliciosas e se bebe. E não só vinho e cerveja, mas sobretudo cerveja. A diferença, é claro, está no clima, que no nosso boteco é muito mais animado.

Ontem fomos conhecer mais um desses bares, o Terroir. Mas a característica marcante dele é, sem dúvida, o cardápio. Não o que servem, mas o cardápio em si: um fichário com não menos do que 30 páginas, com páginas e páginas de descrição e explicação sobre os vinhos que servem. E o grande destaque entre os vinhos está para o Riesling. Não sei porque. É tanto que terminamos pedindo um, que nem era essas coisas toda. Para o meu gosto, muito doce.

Mas havia paginas e páginas contando sobre uma bebida chamada mead, que ela era uma bebida ancestral, que os celtas já bebiam, que Platão a adorava, enfim, tivemos que tomar pelo menos um cálice do tal hidromel. E é uma delicia!!!! Então, se forem no Terroir esqueçam o Riesling, mas não deixem de experimentar o mead. Vale a pena.

Outra coisa que me chamou a atenção é onde eles servem a água. Não sei se já disse que SEMPRE se serve água em todos os bares e restaurantes. Mesmo que voce não peça, a primeira coisa a chegar à mesa é sempre água.

Pois no Terroir eles servem a água em uns potinhos de vidro, parecido com aqueles que vem com geleia ou molho e que parece que só fizeram retirar a tampa, lavar e colocar a água. Achei estranho, mas Thaisa me disse que é a maior moda por aqui. Vá entender.

 

O Deva Spa no Soho

E estavamos andando pelo Soho quando de repente me deparo com o Deva Spa. Para quem não tem cabelos cacheados devo explicar que Deva é a mais importante marca de produtos para nossos cabelos. Uso sempre. Já estive no salão deles em São Paulo e vale realmente a fama que tem. A história é que o Deva Concepts começou aqui em Nova York, quando um cabeleireiro brasileiro (não me lembro o nome) começou a se interessar pelas curls girls e abriu um salão e criou produtos e ficou famoso. Olha só o tamanho do Studio dele aqui, que fica na Broome St. com a Crosby, em pleno Soho.

Fiquei morrendo de vontade de ir lá, mas estava fechado. Ainda bem, porque pela aparencia qualquer coisa deve custar os olhos da cara. É chic demais!

O Hudson River Park

Semana passada visitamos o enorme parque que margeia o Rio East, ontem fomos para o lado oeste e visitamos o Hudson River Park. Apesar de menos largo que o do Rio East, o parque do Hudson é maior e mais organizado e limpo. A visão de New Jersey do outro lado é muito legal. Tão próximo que parece mais perto que Niteroi do Rio. Ouso dizer que na altura em que estávamos o Rio Hudson é mais estreito do que o Potengi.

 

O Parque tem uma entradas  rio a dentro com parquinhos para crianças, bancos, gramados.

Impressiona a quantidade de parques que tem essa cidade. Quando penso que em Natal só dispomos de … quantos parques mesmo tem Natal? Conheço o Parque das Dunas, qual mais? Aquele espaço enorme na margem da Av. Roberto Freire, ótimo para um grande parque, é usado somente pelo povo do aeromodelismo. E não é um espaço para atividade pública. No mais são os milicos dando uns tirinho vez ou outra. E o povo se conforma em ficar correndo no calçadão, achando o máximo aquele lugar barulhento e poluído. Sei não.

Que flor linda é essa?

Olhem bem! Não é linda?

Sabem que flor é essa? Pois é um repolho!!! Lindo, não? Vi vários plantados em vasos, enfeitando os espaços. E vi tambem, como esse aqui, plantado nos canteiros da rua. Um belo efeito!

 

O High Line Park

Claro que todo mundo já ouviu falar que eles pegaram uma estrada de ferro que passava por um viaduto no meio da cidade, desativaram e transformaram a via ferrea em um grande parque. É a High Line Elevated Park, que segue mais ou menos paralela à 10a. Avenida e vai da rua 32 até a rua Gansevoort.

Ontem estava super cheio de gente, mas é lugar muito agradável, um verdadeiro parque  com bancos, espaços para descansar, bebedouros, jardins, lachonetes e uma bela vista da cidade. Para subir voce pode optar por escadas, rampas ou por elevadores panoramicos legais.

Mas o melhor mesmo é a idéia de aproveitar um viaduto sem função. Ao invés de derruba-lo ou deixar se degradando, transforma-lo em um equipamento de lazer público, bonito e bem cuidado. Virou “point” e as pessoas vão prá lá conversar, andar ou simplesmente fazer nada.

Já pensou o “minhocão” de São Paulo transformado em um negócio assim, heim? Fica a idéia, viu, Haddad?