Ainda umas lembranças de Madrid

Quando a gente está viajando raramente come duas vezes no mesmo lugar, até porque temos tanta coisa prá experimentar que não dá mesmo. Pois em Madrid o Rabo de Toro de um restaurante na Plaza de Santa Ana nos seduziu. Fomos lá duas vezes.

Para os que estão acostumandos com a rabada nordestina fiquem certos que o Rabo de Toro não tem nada a ver. Tanto é que merece ser mencionado usando-se maiúsculas. Primeiro ele é cortado em pedaços maiores, com duas vértebras. Depois toda a gordura é retirada e ele é servido em um caldo ferrugem grosso delicioso, com cheiro de cravos.

Mas o melhor desse restaurante foi mesmo Seu Aparício, o garçon. Ele deve ter algo em torno dos 80 anos, é magrinho e baixinho. Mas não para um minuto. Carrega os pratos, limpa as mesas, anota pedidos, enfim, uma eficiência a toda prova. No ultimo dia pedimos pra ele tirar uma foto comigo. Olha que gracinha.

Estamos de volta, infelizmente

Pois é, passou rapido. Hoje saimos daqui de voltra pra casa. Saimos as 18:30 e chagamos a Natal as 23 e pouco. O fuso horário vai nos ajudar a chegar ainda hoje em casa.

Mas ficamos com uns pensamentos loucos de voltar pra passar uns meses por aqui. Vi uns cursos muito interessantes… Nely nos disse que com o dinheiro que temos viveriamos muito bem. Quem sabe?

Beijooooooooooooooooo

O PT em Madrid

Na internet, no site de Dilma, descobrimos que em Madrid tem um núcleo do PT formado e atuante. Claro que fomos atras! Mandamos um email para o endereço que tinha no site, responderam e lá fomos nós encontrar os companheiros.

A referencia era um bar na Calle Vicente Ferrer, chamado “Kabokla”. Voces nem imaginam que bar era. Pensem em um local com coisas aleatórias e desarrumadas de todas as manifestações cuturais do Brasil! De desenho da cara de Chico Buarque a uma cobra gigante (imagino que em papel marche) pendurada no teto. Santos, cangaceiros, fotos do carnaval do Rio, posters de Salvador, enfim, uma completa loucura!

A dona é uma bahiana que mora aqui ha 22 anos e falou pelos cotovelos durante a 1 hora que passamos lá.

Obviamente perdemos de encontrar a companheirada porque a reunião tinha sido as 9 da noite e nós chegamos as 11, mas foi muito legal conhecer a Nely Oliveira, a figurinha dona do bar.

Um dia na Atocha

Por conta da greve do dia 29, adiamos para 30 a nossa ida a Toledo. Eu tinha certeza que Ary ia amar aquelas tralhas todas de cutelaria. Combinamos de ir cedo, chegando a Atocha por volta das 9 da manhã.

Estou ouvindo risos??? Voces estão me achando ingênua? Pois tem toda razão!

Coloquei o despertador para as 7 e meia, acordei … e fiquei esperando até as11 da matina. Nosso hotel é relativamente perto da Estação, de modo que descemos a Calle Atocha a pé.

E encontramos a estação entupida de gente!! Filas quilometricas e demnoradas porque… Bem, o porque me remontou a vivencias brasileiras: estavam abertas mais de 20 bilheterias, mas tinha gente pra atender em apenas 3…!!!!! Ficamos pensando que os funcionarios públicos continuaram em greve, só pode!

Bom, o proximo trem saia as 13:50, dava tempo. Ficamos na fila e as 13:45 ainda tinham umas 10 pessoas na nossa frente!!!! Desistimos…

E saimos fotografando a linda estação de trem de Atocha