NY: a Mermaid Parade

Sábado fomos à Mermaid Parade. Isso mesmo, por aqui existe uma Parada de Sereias! E é muuuuuito divertido! Thaisa perguntou se eu queria ir; como não tinha nenhuma informação, fui pesquisar. Achei o site meio antigo, amador, com umas fotos da Parada que me pareceu uma coisa meio carnaval, meio brega. Não me animei muito. Enfrentar o sol quente de 1 hora da tarde pra ver carnaval? Só em Olinda e em priscas eras. Hoje nem Olinda encaro mais. Mas Daniel me convenceu a ir, por ser uma coisa meio única por aqui. E fomos.

Já no metrô começamos a sentir o espírito da coisa. Metade do trem estava fantasiada, metade portava maquinas fotográficas para fotografar as fantasiadas. Se sentia um clima de alegria, com todo mundo conversando e rindo. E eu já comecei a me arrepender de não ter providenciado nem que fosse uns cílios postiços verdes. Porque, olha que lindas essas figuras eu iam no metro com a gente!

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Não sei se dá para notar, mas a primeira está fantasiada de sereia com bolhas no decote e essa de azul estava linda, toda cheia de purpurina verde e dourada. O marido, bem no clima, estava fantasiado de marinheiro! Ela me ofereceu um pouco de gliter, que eu, claro, aceitei!!

Bom, a Parada ocorre em Coney Island, a praia de NYC e já é meio que tradicional acontecer durante o verão. Coney Island é um lugar bem anos 50. É muito interessante a mistura de coisa meio decadente, meio art nouveau, parece um cenário de filmes antigos. Eu já havia estado aqui em 2011 e comentei aqui.  Na época, o parque de diversões estava desativado, mas agora funciona, o que dá mais movimento ao lugar. Além do famoso hot dog Nathan’s, que tem sempre filas quilométricas.

Quando saímos da estação do metrô uma multidão se organizava de um lado e do outro da avenida paralela à praia, com grades separando o local do desfile e policiais organizado a circulação das pessoas. Aliás, muitos policiais! E ai eu comecei a perceber que não tinha nada a ver com o carnaval de Olinda, que é aquela esculhambação gostosa. Aqui é tudo muito organizado, como dizia Roberto Benigni, em “A Vida é Bela”.  Tipo, para passar pro outro lado voce só podia ir por uma passagem, mas para voltar tinha que ser por outra. E um monte de gente fantasiada circulando. Muitas fantasiadas de sereias, ou o que elas achavam que seria uma sereia (aliás, como é um ser mitológico, cada um pode inventar a sereia que quiser, né não?), outros fantasiados de outras coisas que não tinham nada a ver com sereias e outros ainda fantasiados de nem sei o que. Por exemplo, passou por nós uma senhora assim um pouco plus size, vestida somente com calcinha biquini e com o resto do corpo pintado de um verde que estava claramente desbotado. Por exemplo, essa figura ai abaixo eu não tenho nem ideia do que está representando.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A parada começou com um desfile de carros antigos, o que só reforçou a minha sensação de volta no tempo. E depois vieram as pessoas. E ai, haja sereias de todos os modelos, idades e sexo. E haja pessoas fantasiadas de qualquer coisa. Alguns grupos vinham batucando em tambores, outros com uma banda de jazz, alguns em cima de caminhonetes, mas a maioria à pé.

E tinham outros que estavam por ali só esbanjando charme, sem participar do desfile propriamente dito. Desfilando para as lentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Enfim, foi um sábado extremamente divertido. Não fosse o sol inclemente e teríamos ficado até o fim. Também senti falta de músicas mais animadas e mais constates. A música só aparecia quando algum grupo tocava. Ou seja, eu achava que parecia o carnaval e parece pelas fantasias e a alegria das pessoas, mas não parece porque não tem música.

Pois, se você estiver em NYC no mês de junho e lhe chamarem para a Mermaid Parade, arrume uma fantasia e vá. É divertidíssimo!

Ah, esqueci de dizer que também eu fui fotografada. Alguém pediu permissão pra me fotografar e eu disse sim. Devo estar circulando por ai em algum blog!!!!!

Coney Island

Hoje, dia lindo de sol e um certo calor, fomos a praia. Imaginar uma praia em NY já é esquisito, mais esquisito ainda é ver como é a praia. Me lembrou profundamente as estórias em quadrinhos que eu lia quando criança, tipo Luluzinha e Bolinha e aquelas praias com passeio e cerquinha de madeira para chegar na areia. Eu, uma nordestinha acostumada com praia com barracas, cerveja, gente suada e com areia no corpo, me deparo com uma praia onde todos, inclusive eu, estamos de casaco de frio e cachecol. Alem de tudo Coney Island tem um ar profundamente retrô. Nas luminarias que iluminam o passeio, no estilo dos bancos de madeira, na arquitetura da estação de metro, tudo lembra os anos 30, 40, sei lá. Eu acho muito bonito. Hoje estava com pouca gente, mas os meninos me disseram que no verão fica cheio de gente tomando banho de sol e de mar.

 

Olha que linda essa luminária

No final fomos comer um hot dog no Nathan, tradicional, desde 1916, mas um hot dog que não aprovei muito não. Muito cheio de gordura.