Navegando rumo ao Ártico

Em Bergen tomamos nosso barco e nele navegaremos por 6 noites. O barco não é nenhum navio daqueles enormes, com 5 mil pessoas a bordo. Na verdade trata-se mais de um ferryboat grande, com cabines e alguns serviços. São 479 cabines, comportando pouco mais de 700 passageiros. A companhia (Hurtigruten) é especialista nesse tipo de cruzeiro, atuando aqui no Ártico, mas também na Antártica. Temos um restaurante, onde temos direito as 3 refeições, um bar para pequenos lanches, um sala de fitness, duas jacuzzis ao ar livre, que só de pensar em entrar nelas já me dá tremores. No último deck há um simpático café, com jogos de tabuleiros e lãs e agulhas para quem quiser fazer crochê ou tricô. Os passageiros são convidados a tecer algo que se incorporará a uma grande colcha que já está em andamento. Muito legal isso!

O barco vai quase sempre navegando próximo à costa, de modo que temos vistas lindas de cidadezinhas ou conjunto de casas, além das montanhas nevadas. Em algumas cidades o barco para e, dependendo do tempo de parada, descemos e damos um rolé pela cidade.

Primeira parada: Ålesund

Ålesund é conhecida por ser a capital mundial do bacalhau já que possui varias indústrias de processamento do peixe. Mas o mais interessante é que ela foi quase totalmente destruída por um incêndio em 1904 e foi reconstruída com um modelo arquitetônico da Art Nouveau. Assim, a cidade tem um pequeno museu dedicado ao estilo, muito interessante.

Aqui a gente já começa a observar que mesmo com condições de vida tão inóspita, com as dificuldades de acesso, as cidades, no entanto, tem uma aparecia de prosperidade. Pobreza a gente não vê por aqui. Mas Cultura, sim. Como imaginar uma cidade com 40 mil habitantes, tendo um museu de Art Nouveau?

Com um densidade demográfica muito baixa, afora os turistas quase não se vê gente pelas ruas de Ålesund. As casas ao longo do canal não tem o colorido de Bergen, mas são muito bonitas na su sobriedade.

Ainda existe preservada um parte de um bairro de antes do incêndio. São casas de madeira, brancas, tipicamente casas de marinheiros. Muito bonito.

Depois de um passeio de pouco menos de 2 horas, voltamos ao barco e seguimos viagem.