Entrando na Romênia: Sinaia

E aí entramos na Romênia e começamos, mais ou menos, a entender o que estava escrito. Como todo mundo sabe, o idioma daqui é do tronco latino e, ao ser falado, nos soa como uma mistura do italiano com francês.

Para começar aprendemos que a pronúncia do nome do país para os nativos é Romanía, mas algumas vezes observei escrito România, que parece ser a pronúncia mais comum dos estrangeiros. Particularmente prefiro a forma original.

A primeira cidade que conhecemos foi uma pequena e lindinha até no nome, Sinaia. Tem um centrinho pequeno, com alguns restaurantes simpáticos. 

Por falar em gastronomia devo dizer que não estou gostando muito da comida por aqui, e isso inclui a Macedonia e a Bulgária. Come-se basicamente porco, carneiro e frango, grelhado ou ensopado. O grelhado é meio seco e o ensopado é geralmente com legumes e algo gorduroso. As carnes, a maioria das vezes, vem acompanhada de polenta ou berinjela e abobrinha grelhadas. Até agora o mais gostoso que comemos foi um espaguete a carbonara.


Em Sinaia visitamos o Castelo de Peles. Claro que o meu primeiro pensamento era que se tratava de um castelo decorado com peles de todos os tipos. Lêdo engano. “Pele” é uma espécie de cinturão de couro, largo, com bolsos, lugares para colocar faca e outras armas ou utensílios, usado pelos homens, naturalmente. O castelo estava cheio disso? Também não. E por que tem esse nome? Não consegui que a guia nos explicasse.


O castelo é uma construção do final do século 19, muito bonito por fora, com um interior decorado quase que integralmente com madeira. Paredes, móveis, piso em vários tipos de madeira (inclusive nogueira brasileira), algumas colunas em marchetaria, uma escadaria em espiral que é só enfeite pois não leva a lugar nenhum e lareiras de porcelana também só pra enfeitar. Nas paredes quando não há madeira, há pinturas falsas, cópias de quadros famosos. Esse castelo foi construído pelo rei Carlos I, que apesar do luxo duvidoso, pouco o frequentava, porque morava mesmo era em Bucareste. Enfim, apesar de muito belo por fora, o Castelo de Peles parece muito ostentatório, como se fosse coisa de novo rico.

Mas o castelo já dispunha de algumas modernidades como água encanada, aquecimento central e elevador. Os banheiros são bem modernos, com banheira e bidê.


As fotos abaixo não são minhas; coloco aqui para exemplificar o estilo “pesado” da decoração.